terça-feira, 2 de agosto de 2011

União cristã.

A união cristã é Como uma manada de elefantes.
Na savana africana, quando um leão ruge, os antílopes que estão por perto correm o máximo que podem, até ficarem fora de perigo. Os elefantes, no entanto, dão um exemplo de apoio mútuo. O livro Elephants—Gentle Giants of Africa and Asia (Elefantes — Gigantes Dóceis da África e da Ásia) explica: "Um meio de defesa de uma típica manada de elefantes é ficar posicionados formando um círculo, com os adultos na parte de fora, encarando a ameaça, e os animais novos protegidos dentro do círculo." Confrontados com tal manifestação de força e de apoio mútuo, mesmo os filhotes raramente são atacados por leões.
Quando somos ameaçados por Satanás e seus demônios, de modo similar temos de ficar juntos, ombro a ombro com nossos irmãos que são fortes na fé. Paulo reconheceu que certos irmãos foram para ele "um auxílio fortificante" durante o seu encarceramento em Roma. (Colossenses 4:10, 11) A palavra grega traduzida "um auxílio fortificante" ocorre apenas uma vez nas Escrituras Gregas Cristãs. Segundo o Expository Dictionary of New Testament Words (Dicionário Expositivo de Palavras do Novo Testamento, de Vine), "uma forma verbal da palavra refere-se a remédios que aliviam irritação". Assim como uma pomada sedativa, o apoio de adoradores de Cristo maduros pode aliviar a dor causada por sofrimento emocional ou físico.

A teia da Aranha.

Uma vez um homem estava sendo perseguido por vários malfeitores que queriam matá-lo.
O homem, correndo, virou em um atalho que saía da estrada e entrava pelo meio do mato e, no desespero, elevou uma oração a Deus da seguinte forma

- Senhor Jesus fazei com que anjos venham do céu e fechem a entrada da trilha para que os bandidos não me aachem e me matem!

Nesse momento escutou que os homens se aproximavam da trilha onde ele se escondia e viu que na entrada da trilha apareceu uma pequena aranha.

Então a aranha começou a tecer uma teia na entrada da trilha.

O homem se pôs a fazer outra oração cada vez mais angustiado:

- Senhor, eu vos pedi anjos, não uma aranha.

- Senhor, por favor, com tua mão poderosa coloca um muro forte na entrada desta trilha, para que os homens não possam entrar e me matar...

Então ele abriu os olhos esperando ver um muro tapando a entrada e viu apenas a aranha tecendo a teia.

Os malfeitores estavam entrando na trilha, na qual ele se encontrava, e ele estava esperando apenas a morte.

Quando passaram em frente da trilha o homem escutou:

- Vamos, entremos nesta trilha.

- Não, não está vendo que tem até teia de aranha? Nada entrou por aqui. Continuemos procurando nas próximas trilhas.

Deus sempre ouve nossas orações, mas nem sempre do modo como esperamos!
deixemos Deus agir da forma que lhes apraz

Aborto - Matando Beethoven.

Um professor na Faculdade de Medicina da Universidade de Califórnia um dia perguntou aos seus alunos. "Aqui é a história de família. O pai tem sífilis. A mãe tem tuberculose. Eles já tiveram quatro filhos.O primeiro filho nasce cego. O segundo filho morreu. O terceiro filho nasceu surdo e o quarto filho tem tuberculose. A mãe estánovamente grávida. Os pais estão dispostos a ter um aborto se for recomendado.O que é que vocês sugerem?" A maioria dos alunos optaram pelo aborto. "Parabéns," anunciou o professor. "Você acabou de matar Beethoven." Nada é tão final quanto à morte, mesmo quando é feito cedo na vida.

O aborto.

Por que matar um filho e não o outro?
- "Doutor, o senhor terá de me ajudar num problema muito sério. Este meu bebê ainda não completou um ano e estou grávida novamente. Não quero filhos em tão curto espaço de tempo. Não tenho condições de criar ambos”.

E então o médico perguntou: "E o que a senhora quer que eu faça?"
A mulher, já esperançosa, respondeu: "Desejo interromper esta gravidez e conto com a ajuda do senhor".

O médico então pensou um pouco e depois disse a mulher:
- "Acho que tenho um método melhor para solucionar o problema. E é menos perigoso para a senhora".
A mulher sorriu, acreditando que o médico aceitaria seu pedido.

E então ele completou:
- "Veja bem, minha senhora, para não ter de ficar com os dois bebês de uma vez em tão pequeno espaço de tempo, vamos matar este que está em seus braços. Assim, o outro poderá nascer. Se o caso é matar, não há diferença entre um e outro. Até porque sacrificar este que a senhora tem nos braços é mais fácil, pois a senhora não correrá nenhum risco."

A mulher reagiu indignada: - "Não doutor! Que horror! Matar uma criança é um crime!".

Depois de refletir, a mãe mudou de idéia. O médico viu que a sua lição surtira efeito. Ele persuadiu a mãe que não há diferença entre matar a criança já nascida e matar uma criança ainda por nascer, mas viva no seio materno. O crime é o mesmo, e o pecado, diante de Deus, também é o mesmo. –

autor desconhecido

O moço estudante.

Era uma vez um rapaz que ia muito mal na escola.Suas notas e seu comportamento eram decepção para seus pais que sonhavam vê-lo formado e bem sucedido.Um belo dia o bom pai propôs um acordo,dizendo-llhe:"Se você meu filho mudar o comportamento,se dedicar aos estudos e conseguir ser aprovado no vestibular para a faculdade de medicina lhe darei um carro de presente."!

Por causa do carro o rapaz mudou da água para o vimho: passou a estudar como nunca e a ter um comportamento exemplar, o pai estava feliz mais tinha uma preocupação:sabia que a mudança do rapaz não era fruto de uma conversão síncera,mais apenas do interesse de obter o automóvel isso era mal.

O rapaz seguia os estudos e aguardava o resultado dos seus esforços.Assim o grande dia chegou:o rapaz foi aprovado para o vestibular de medicina.Como prometido o pai convidou os amigos e a família para festa de comemoração.O rapaz tinha por certo que na festa o pai lhe daria o automóvel.

Quando pediu a palavra o pai elogiou o filho e lhe passou as mãos uma caixa de presente.Acreditando que estavam ali as chaves do carro ele abriu emocionado o pacote.Para sua surpresa o presente era uma bíblia.Ele ficou visivelmente decepcionado e nada disse,simplesmente colocou a bíblia numa estante da sua casa.

A partir daquele dia o silêncio e a distancia separavam pai e filho.O jovem se sentia traido e agora lutava para ser independente.Deixou a casa dos pais e foi morar no Campus da universidade.Raramente mandava notícias, o tempo passou ele se formou,conseguiu um bom emprego em um hospital e se tornou um médico conceituado. Porém se esqueceu completamente dos pais.Todas as alternativas do pai8 para reaterem foi em vão.Até que um dia, o velho muito triste com situação adoeçeu e não resistiu: faleceu.

No enterro ,a mãe entregou ao filho indiferente, a bíblia que tinha sido o ultimo presente do pai,anos atrás,quando ele passou no vestibular.Essa bíblia passou anos na estante dos pais esperando que ele fosse buscá-la.

De volta a sua casa, o rapaz que nunca perdoara o pai,quando colocou a bíblia em cima de um móvel,notou que havia um envelope dentor dela.Ao abri-lo, encontrou uma carta e um cheque em branco,assinado pelo seu pai datado do dia do resultado do vestibular em que fora aprovado.A carta dizia:"Filho querido,sei quanto deseja ter um carro.Eu promrti e aqui está o cheque para você.Escolha aquele que mais lhe agradar.No entanto fiz questão de lhe dar um presente ainda maior:a bíblia sagrada.Nela aprenderás o amor a Deus e a fazer o bem não pelo prazer da recompensa,mas pela gratidão e pelo dever da consciência."orroido de remorso o filho caiu em profundo pranto.

MORAL DA HISTORIA

Como é ruim a vida dos que não sabem perdoar.Isso pode leva a erros terriveis e a um fim ainda pior.Antes que seja tarde,perdoe aquele que tem ter feito o mal.

Não somos responsavéis apenas pelo que fazemos, mas também pelo que deixamos de fazer.

A lenda do ritual da passagem da juventude dos indios cherrokees.

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, por do sol montanha venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho.
O filho se senta sozinho no topo de uma montanha toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.
Ele não pode gritar por socorro para ninguém.
Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem.
Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.
O menino está naturalmente amedrontado.
Ele pode ouvir toda espécie de barulho.
Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele.
Talvez alguns humanos possam feri-lo.
Os insetos e cobras podem vir picá-lo..
Ele pode estar com frio, fome e sede.
O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele se senta estoicamente, nunca removendo a venda.
Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.Finalmente...
Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida.
Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele.
Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo.

Nós também nunca estamos sozinhos!
Mesmo quando não percebemos Deus está olhando para nós,
Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar Ele está a nos proteger

Moral da história:
Apenas porque você não vê Deus, não significa que Ele nao esteja tevendo.
Nós precisamos caminhar pela fé, não com a nossa visão material.

O menino o pato e sua mãe.

Era uma vez um garotinho que estava de visita aos seus avós. No quintal ele brincava com um estilingue e tentava acertar a um alvo , mas nunca conseguia. ate que desanimou da façanha, desistiu, e voltou para casa para almoçar. À medida que se aproximava de casa, viu um patinho de estimação da sua mãe. a nadar no lago Num impulso, ele pegou o seu estilingue e atirou em direçao ao pato e acertou em cheio em sua cabeça , matando-o. Ele ficou chocado e com medo de sua mãe descobrir. Escondeu o pato num cantinho, porem,. Sara, a sua irmã, tendo visto tudo não contou nada a ninguém. Depois do jantar, a mãe disse 'Sara, ajuda-me a lavar os pratos'. Mas a Sara argumentou: 'a sua mãe, o Joãozinho disse-me que ia me ajudar na lavagem hoje.' Em seguida, murmurou ao seu irmão - 'Lembras-te do pato ?'. Assim, a Sara foi passear e o Joãozinho ficou na cozinha a ajudar. Na manhã, eles queriam ir passear , mas a mãe disse 'É pena, mas preciso que a Sara me ajude a fazer o almoço.' Aí, Sara sorriu e disse: ' Ora, não faz mal, porque o Joãozinho disse que ia ser ele a fazer!'. Virou-se para o seu irmão e murmurou outra vez : 'Lembras-te do pato?'. E lá foi ela passear e o Joãozinho ficou na cozinha. Depois de uma série de dias fazendo as suas tarefas e as de Sara, o João já não conseguia mais.
Chegou-se ao pé da mãe e confessou que tinha matado o pato. A mãe ajoelhou-se, deu-lhe um abraço e disse 'Querido, eu sei! Eu estava na janela quando tu acertaste nele. Eu vi tudo. Mas eu amo-te e te perdôo. Estava só vendo até quando iria deixar que a Sara fizesse de ti seu escravo. 'O que quer que tenha acontecido no nosso passado, o que quer que Satanás continue a atirar-nos à cara, lembre-se - Jesus estava na janela e ele viu tudo'. Ele estava só esperando até quando íamos deixar que Satanás fizesse de nós seus escravos.
A melhor coisa sobre Jesus é que ele não só perdoa como também esquece.


''Porque tu, ó Senhor, és bom e estás pronto a perdoar; E é abundante a benevolência para com todos os que te invocam''. Salmo 86:5.

União cristã.

Como uma manada de elefantes
Na savana africana, quando um leão ruge, os antílopes que estão por perto correm o máximo que podem, até ficarem fora de perigo. Os elefantes, no entanto, dão um exemplo de apoio mútuo. O livro Elephants—Gentle Giants of Africa and Asia (Elefantes — Gigantes Dóceis da África e da Ásia) explica: "Um meio de defesa de uma típica manada de elefantes é ficar posicionados formando um círculo, com os adultos na parte de fora, encarando a ameaça, e os animais novos protegidos dentro do círculo." Confrontados com tal manifestação de força e de apoio mútuo, mesmo os filhotes raramente são atacados por leões.
16 Quando somos ameaçados por Satanás e seus demônios, de modo similar temos de ficar juntos, ombro a ombro com nossos irmãos que são fortes na fé. Paulo reconheceu que certos irmãos foram para ele "um auxílio fortificante" durante o seu encarceramento em Roma. (Colossenses 4:10, 11) A palavra grega traduzida "um auxílio fortificante" ocorre apenas uma vez nas Escrituras Gregas Cristãs. Segundo o Expository Dictionary of New Testament Words (Dicionário Expositivo de Palavras do Novo Testamento, de Vine), "uma forma verbal da palavra refere-se a remédios que aliviam irritação". Assim como uma pomada sedativa, o apoio de adoradores de Deus maduros pode aliviar a dor causada por sofrimento emocional ou físico.

O amor verdadeiro.

Um senhor de idade chegou a um consultório médico, para fazer idosos um curativo em sua mão, na qual havia um profundo corte. E muito apressado pediu urgência no atendimento, pois tinha um compromisso.
O médico que o atendia, curioso perguntou o que tinha de tão urgente para fazer.
O simpático velhinho lhe disse que toda a manhã ia visitar sua esposa que estava em um abrigo para idosos, com mal de Alzheimer muito avançado.
O médico muito preocupado com o atraso do atendimento disse:
- Então hoje ela ficará muito preocupada com sua
demora?
No que o senhor respondeu:
-Não, ela já não sabe quem eu sou. Há quase cinco anos que não me reconhece mais.
O médico então questionou:
- Mas então para quê tanta pressa, e necessidade em estar com ela todas as manhãs, se ela já não o
reconhece mais?
O velhinho então deu um sorriso e batendo de leve no ombro do médico respondeu:
-Ela não sabe quem eu sou... Mas eu sei muito bem quem ela é!
O médico teve que segurar suas lágrimas enquanto pensava...
O verdadeiro AMOR, não se resume ao físico, nem ao romântico.
O verdadeiro AMOR é aceitação de tudo que o outro é...
De tudo que foi um dia... Do que será amanhã... E do que já não é mais

10

A Fábula do Porco-Espinho

Durante a era glacial muitos animais morriam por causa do frio.

Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, porco-espinho-dunga assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor. Por isso decidiram se afastar uns dos outros e voltaram a morrer congelados, então precisavam fazer uma escolha: ou desapareceriam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros.

Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro.

E assim sobreviveram. ..

Moral da História:

O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro e consegue admirar suas qualidades.

Porque ir a igreja.

Um cristão escreveu uma carta ao editor de um certo jornal
queixando-se que não faz sentido ir aos cultos todo os Domingo dizia ele.
'Tenho ido aos cultos durante trinta anos ' ele escreveu ' e nesse tempo eu ouvi cerca de uns
3.000 discursos públicos. Mas, não consigo me lembrar de um
único deles.
Então, acho que estou perdendo meu tempo e os irmãos, gastando o deles por
darem discursos bíblicos.'
Isso começou uma grande controvérsia na coluna do diario' Cartas foram
enviadas ao Editor' para a sua satisfação. E foi assim por algum tempo até
que alguém escreveu a seguinte carta.
'Estou casado a 30 anos. E nesse tempo todo, minha esposa: cozinhou cerca
de 32.000 refeições. Mas em todo esse tempo, não consigo me lembrar do sabor
de uma única dessas refeições. Mas uma coisa eu sei... Todas elas me
nutriram e me deram a força que eu precisava para fazer meu trabalho. Se
minha esposa não tivesse me dado essas refeições eu estaria fisicamente
morto hoje. Do mesmo modo, se não tivesse ido aos cultos da igreja para me
nutrir, eu estaria espiritualmente morto hoje!'
Quando você está para baixo, triste por algum problema, Deus
Sempre te põe para cima! Faz você ver o invisível, crer no inacreditável e
perceber o impossível!
Agradeça Muito a Deus pela sua saúde e nutrição espiritual,
dadas por meio de maravilhosos sermoes. E não
esqueça que 'a repetição é a mãe da retenção'.
Nunca permita que nada ou ninguém lhe prive do imenso privilégio de estar
nas Reuniões Cristãs, ouvindo a voz do próprio
Deus através de seus representantes, zelosos oradores, nos instruindo!

Papel picado solto ao vento.

Um senhor, há muito tempo, tanto falou que seu vizinho era ladrão que o rapaz acabou preso. Dias depois, descobriram que era inocente. O rapaz foi solto e processou o homem. No tribunal, o velho diz ao juiz: “Comentários não causam tanto mal”. E o juiz responde: “Escreva os comentários num papel, depois pique e jogue os pedaços no caminho de casa. Amanhã, volte para ouvir a sentença”. O senhor obedeceu e voltou no dia seguinte. - Antes da sentença, terá que catar os pedaços de papel que espalhou ontem, disse o juiz. Responde o velho: - Não posso fazer isso. O vento deve tê-los espalhado, já não sei onde estão. Responde o juiz: - Da mesma maneira, um simples comentário pode destruir a honra de um homem, a ponto de não podermos consertar o mal. Se não se pode falar bem de uma pessoa, é melhor que não se diga nada. Sejamos donos de nossa boca, para não sermos escravos de nossas palavras.

Nem todos podemos agradar.

Certa vez havia um homem idoso, uma criança e um burrinho indo em direção a cidade.
O homem idoso ia em cima do burrinho e a criança andando, ao passar por um grupo de pessoas elas disseram: "mas esse homem é desumano, fazendo uma criança tão pequena andar a pé".enquanto ele vai montado
O homem desceu e colocou o menino no burrinho. Mais a frente outro grupo de pessoas disse: "Mas veja só, coitado do homem, é o menino que tinha que ir andando, pois tem muita saúde" não esse pobre idoso
Daí eles resolveram, vamos nós dois em cima do burrinho.
Não deu outra, chegando mais a frente disseram: "coitado do burrinho, pra que maltratar o bichinho com tanto peso."
eles então desceram do animal amarrou suas patas e colocaram uma madeira pelo meio e levarão ate acidade
ao chegar na cidade todos riram deles
em vês do burrinho trazer eles eles trouceram o burrinho nas costas


Moral da história: ninguem consegue agradar a todos.

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | free samples without surveys